tomie 7de91Obra da artista Tomie Ohtake localizada em frente à sede da Usiminas, em Belo Horizonte (foto: Divulgação/ Instituto Tomie Ohtake)

Deputados querem ouvir uma das maiores artistas plásticas do país, a japonesa naturalizada brasileira, Tomie Ohtake, falecida em 2015, aos 101 anos.

O deputado federal Expedito Netto (PSD-RO) apresentou, no dia 16 de setembro, um requerimento convocando para depor na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga a aplicação de recursos da Lei Rouanet Tomie Ohtake, falecida em fevereiro de 2015, aos 101 anos, uma das mais prestigiadas artistas plásticas do país, nascida no Japão, mas naturalizada brasileira.

De acordo com o requerimento, o Instituto Tomie Ohtake, que leva o nome da artista, junto com outras quatro instituições, entre elas o Museu de Arte de São Paulo (MASP), captaram em 2015, cada uma, cerca de R$ 13 milhões por da Lei Rouanet, o “que indicaria uma forte concentração na captação”. “Desta forma é de suma importância a este colegiado ouvir os representantes das campeãs em captação possibilitando a este colegiado propor melhorias na legislação para que a captação se torne mais democrática”, diz o requerimento assinado por Expedito, que exerce seu primeiro mandato na Câmara dos Deputados.

A CPI da Lei Rouanet foi instalada no dia 13 e terá como presidente o deputado Alberto Fraga (DEM-DF). A relatoria ainda não foi definida. Além de Tomie, já falecida, o requerimento também convoca Luiz Calainho, diretor da empresa Aventura Entretenimento, Miguel Gutierrez, do MASP, Roberto Egydio Setubal, do Instituto Itaú Cultural,e Fernando Luiz Altério, diretor presidente T4F Entretenimento. Outro requerimento, do deputado Sóstenes Cavalcante (DEM) convoca o ator José de Abreu e o músico Tico Santa Cruz para prestarem depoimentos na CPI da Lei Rouanet.

A reportagem procurou a família de Tomie, mas ela ainda não se manifestou sobre a convocação. O Instituto Tomie Ohtake também foi procurado, mas não respondeu o pedido de informação.

30 últimas notícias