Modernismo

 semana 22 1c262

Com esse termo designa-se o movimento literário que compreende um grupo variado de correntes estéticas de vanguarda, como o Dadaísmo, o Surrealismo e o Futurismo.

 É uma tendência dinâmica, indicando a necessidade de renovação e a crença de que é possível uma superação constante, baseada na idéia da “modernidade” contra a da tradição e do antigo. O século XX tem se caracterizado como uma época de mudanças radicais com a preocupação de substituir valores antigos e fazer insvestigaçòes no campo de todas as atividades humanas. No campo literário, a atitude moderna da época presente em opisição às antigas coloca acima de tudo o particular, o local, a circunstância, o pessoal, o subjetivo, o relativo e a diversidade. Assim configurada a atitude moderna, a literatura contemporânea atingiu um estágio em que as constantes estruturais e ideológicas obedecem a esse teor.

 Fecundada pelas heranças romântica e realista e pela contribuição simbolista, revivificada pelas experiências da fase dos “ismos” de vanguarda, a literatura logrou uma característica geral no Ocidente. São estes os seus traços: (a) o autor ausenta-se da narrativa; (b) a ação e o enredo cederam em importância às emoções, estados mentais e reações dos personagens; (c) a temática passou dos assuntos universais para os particulares, individuais, específicos; (d) a seleção do material inclui todos os motivos e assuntos, inclusive os abjetos e vis; (e) a caracterização variou, aumentando o interesse pelos estados mentais, pela análise profunda do eu, pelo fluxo da consciencia, em vez das exterioridades, do retrato e da ação exterior; (f) a literatura tornou-se cada vez mais subjetiva e interiorizada, feita de experiências mentais; (g) a sugestão e a associação, a expressão indireta, são os meios mais comuns de expressão. Na poesia propriamente, a modernidade geralmente se revela pelos seguintes elementos: (a) imagens modeladas pela vida cotidiana: (b) interesse pelo inconsciente; (c) interesse pelo homem vulgar e pela ordem social, etc. A palavra “modernismo” foi aplicada primeiramente nas literaturas de língua espanhola, nas quais tem um significado diferente, pois designa o movimento surgido nas últimas décadas do século XIX, no Novo Mundo e irradiado para a Espanha, e fundindo tendências simbolistas e parnasianas, individualistas e decadentistas, realistas e idealistas, intimistas e místicas, provincianas e cosmopolitas. Ocupou larga área daquelas literaturas, com Rubén Darío à frente, e corresponde ao pré-rafaelismo inglês e ao impressionismo francês.

 No Brasil e Portugal, o Modernismo é o movimento de após a I Guerra Mundial, nascido em reação contra a decadência parnasiana, sob a influência dos “ismos” europeus das duas primeiras décadas. No Brasil o movimento foi designado como Futurismo, mas, a partir da Semana de Arte Moderna, de 1922, passou a ser batizado como Modernismo e modernistas os seus adeptos. Resultou do geral anseio de renovação da literatura brasileira, e veio sendo preparado desde 1910 por diversas vocações de rebeldia e tendências antiarcaizantes. Graça Aranha teve papel destacado na preparação do movimento, que contou como principais organizadores os grupos paulistas, com Menotti Del Picchia, Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Guilherme de Almeida, Sérgio Milliet, Plínio Salgado, Cândido Mota Filho, Cassiano Ricardo e outros; e carioca, com Manuel Bandeira, Álvaro Moreyra, Ribeiro Couto, Ronald de Carvalho, Renato Almeida, Alceu Amoroso Lima, Sérgio Buarque de Holanda, Prudente de Morais Neto, Rodrigo Melo Franco e outros.

 O movimento espalhou-se por todo o país, sobretudo Minas Gerais, Bahia e Pernambuco. O Modernismo compreende três fases marcadas por três gerações sucessivas, correspondentes às de 1922, 1930 e 1945.

 De 1922 a 1930, o movimento se caracteriza pelo sentimento e pelo predomínio da poesia. De 1930 a 1945 substitui a revolta pela construção, e a poesia de ficção predomina. De 1945 em diante, é crítico e de apuramento formal.

 O Modernismo é dos mais importantes movimentos literários e culturais do Brasil, tendo influenciado todas as atividades do espírito e contribuído outrossim para renovar a mentalidade brasileira.